Romero Gonzaga

    Romero Gonzaga

    Campina Grande (PB)
    1seguidor5seguindo
    Entrar em contato

    Comentários

    (94)

    Recomendações

    (253)
    Sergio Paiva, Gestor de Projeto
    Sergio Paiva
    Comentário · há 2 anos
    A pergunta título deste escrito, faz todo o sentido sim, explico com um exemplo:

    Cidadão transitando de forma habitual na rua é assaltado por um bandido que atira e deixa o indefeso paraplégico , a polícia em diligência o localiza e o após luta corporal o prende.

    Cidadão: vegetando em uma cama e sua família totalmente desamparada, sem receber nenhuma atenção dos Direitos Humanos.

    Policial: O DU o processa por uso de violência contra o bandido, policial é preso, afastado e depois vai para administrativo até reintegrar a corporação.

    Bandido: Fica retido sob a tutela do Estado, sua família recebe $$$ por este período, recebe teto gratuitamente (a vítima e o policial pagam aluguel), recebe 3 refeições por dia gratuitamente (a vítima e o policial não recebem um grão de arroz de graça).

    Resumo: o bandido saiu para roubar 1.000,00 se algo der errado ele continua no lucro.

    No final de tudo a culpa é do Estado? Até quando esta desculpa será usada para justificar e acobertar a crueldade do bandido?

    A culpa é da polícia truculenta? Se uma família honesta e trabalhadora, como a minha e sua eu suponho, tiverem sua casa invadida e sob forte ameaça e agressões, deveria a polícia oferecer aos criminosos flores e um plano de rendição?

    Não, a polícia deve agir com todo o seu aparato para prover a segurança e garantir a integridade física, emocional e moral das vítimas.

    Os criminosos se colocaram naquela posição de livre e espontânea vontade, ignorando qualquer direito ou respeito humano, visando unicamente subtrair dinheiro e bens materiais das vítimas, se para lograr êxito no crime planejado tiverem que assassinar as vítimas o farão com a mesma tranquilidade que eu escrevo este texto.

    Me perdoe se me estendo mas o assunto exige e a clareza da interpretação difere de acordo com quantas vezes você teve a sua paz e integridade violados.

    Pela sua exposição o Estado tem, no exemplo dado, o dever de cuidar do Cidadão agora paraplégico e do Policial agora afastado, já o criminoso será cuidado pelo DU.

    Então precisamos destituir esta sociedade Direitos Humanos, por cuidar somente de uma categoria de humanos - criminosos como diz o seu texto e a minha argumentação - e criar:

    DU dos cidadãos de bem: Cidadão e Policial
    DU dos criminosos: criminosos

    O Estado arca com as responsabilidades para com os cidadãos de bem, e o criminoso - ora reconhecido e institucionalizado em seu proprio texto, arca com as suas responsabilidades.

    Concluo dizendo que, como é facil perceber, o caro colega nunca teve uma mãe e um filho assassidos friamente por um assassino que invadiu o seu sagrado lar.

    Os Direitos Humanos hoje é um instrumento de facilitação e encorajamento ao crime.

    Cidadãos de bem salvem-se quem puder!
    Leandro Dimitry Miranda, Engenheiro Agrônomo
    Leandro Dimitry Miranda
    Comentário · há 3 anos
    A importunação ou desconforto por intenções por lascívia é uma agressão física mesmo não tendo causado lesões corporais a vítima, podendo ser considerado ameaça a integridade física, moral e ao pudor e estupro pode ser caracterizado sem a vítima ter sido obrigada por abuso sexual com violência, tendo sua dignidade sexual violada por razões do constrangimento com ameaças por assédio e nos casos de impunidade corrupção policial e fiscalizações em geral e mesmo no âmbito do trabalho conhecidos por assédio sexual. As violações da vida privada constitui crimes de violação da dignidade e atentado ao pudor podendo ser alvo de difamação e chantagens por grupos e quadrilhas terroristas do crimes organizado que é configurado sempre com atuação de governos com corrupção. A conduta da população em geral é ruim e oportuniza os desejos e a má índole também, a homossexualidade também é desvio da natureza que geralmente assume perfil vulgar e com atrevimento por mulheres e homens. Não existe necessidade sexual de realizar praticas sexuais entre os heterossexuais é o desejo sexual que deve ser coordenado com excelente conduta (física e intelectual, higiene, uso adequado de vestimentas) o que qualifica o ser humano culto e também a civilização. Também não existe cópula sexual entre homossexuais apenas entre homem e mulher, macho e fêmea.
    Deve ser considerado nestes casos como crimes contra a vida com agressão física e crimes de agressão e crimes de ameaça, provocação, perturbação do descanso e terrorismo por intimidação e assédios, portanto pode existir crimes hediondos.
    Por Leandro

    Perfis que segue

    (5)
    Carregando

    Seguidores

    (1)
    Carregando

    Tópicos de interesse

    (16)
    Carregando
    Novo no Jusbrasil?
    Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

    ANÚNCIO PATROCINADO

    Outros perfis como Romero

    Carregando

    Romero Gonzaga

    Entrar em contato